Conhecendo o programa

A Merck, empresa alemã líder em ciência e tecnologia com 350 anos de história, tem a honra de apresentar o ConvivaBem, um programa de apoio a você, paciente em tratamento oncológico, para contribuir com o seu bem-estar durante o tratamento. Toda a plataforma de apoio do Programa ConvivaBem foi cuidadosamente pensada, com o objetivo principal de colaborar com a sua qualidade de vida. Aproveite esse portal de apoio como um espaço exclusivamente seu e de seus familiares com informações e dicas sobre como conviver bem com esse momento.

Além do site, cadastrando-se no programa, você poderá contar com:

Conviva Bem

Assistência telefônica, através da nossa central de atendimento, onde a nossa equipe de profissionais da saúde pode dar apoio emocional e, ao mesmo tempo, esclarecer dúvidas em relação ao tratamento.*

Conviva Bem

Recebimento de materiais informativos, educativos e de apoio ao tratamento.

Conviva Bem

Kit de cuidados com a pele.
Caso você esteja em tratamento e ainda não seja cadastrado no programa, não deixe de se cadastrar. É simples e gratuito.

Caso você esteja em tratamento e ainda não seja cadastrado no programa, não deixe de se cadastrar. É simples e gratuito.

Cadastre-se

O cadastro também pode ser feito pela central de atendimento 0800 11 33 19, de segunda a sexta-feira, das 8h às 20h. Após a finalização do seu cadastro, você passará a contar com toda a plataforma de apoio do Programa ConvivaBem.

*Essas orientações não configuram consulta médica e qualquer esclarecimento adicional quanto ao tratamento individualizado. O paciente deverá consultar o médico que o acompanha.

Sua saúde

Câncer Colorretal

O câncer colorretal é o terceiro tipo de câncer mais comum em homens e o segundo em mulheres no Brasil e no mundo. A estimativa nacional para o ano de 2016 era de 16.660 casos novos em habitantes do sexo masculino e 17.620 do sexo feminino.1

Fatores de risco

Fatores de risco

Alguns fatores de risco podem aumentar as chances de desenvolvimento da doença, tais como: idade acima de 50 anos, histórico familiar da doença, doenças inflamatórias do intestino, sedentarismo, obesidade, dieta baseada em consumo excessivo de carne vermelha, dieta rica em gorduras e pobre em fontes de fibras (frutas e verduras), tabagismo, consumo exagerado de bebidas alcoólicas e diagnóstico anterior de câncer de ovário, útero ou mama.1

Sintomas

Sintomas

As queixas mais comuns são: alteração do ritmo intestinal, dores abdominais, presença de sangue nas fezes e dor ao evacuar. Porém, a fase inicial da doença costuma ser assintomática. Por esse motivo, os exames de rotina, como a colonoscopia, são fundamentais para a detecção precoce da doença.2

Diagnóstico

Diagnóstico

A colonoscopia é o principal exame para a detecção do câncer colorretal. Na maioria dos casos, é possível identificar e remover os pólipos intestinais durante esse processo. Se constatada uma lesão, deve-se verificar em qual fase a doença está através da biópsia, que consiste na análise de um fragmento de tecido retirado do tumor suspeito. Porém, mesmo após sua confirmação, é preciso realizar outros exames para identificar suas características, a fim de determinar a terapia mais adequada.2

Biomarcadores

Os chamados biomarcadores

Nem todo câncer colorretal é igual, pois cada tumor possui um biomarcador que o diferencia. Esses biomarcadores são alterações biológicas presentes nas células tumorais e podem ser detectados através de testes específicos. Essa identificação é de grande importância, uma vez que muitos tratamentos são guiados de acordo com a presença dessas alterações. Por isso, testes como o RAS ajudam a personalizar o tratamento e a oferecer melhores resultados.2

O teste RAS

O teste RAS

O tratamento do câncer colorretal pode ser feito através de diversas terapias, com diferentes mecanismos de ação. Um desses mecanismos atua diretamente no bloqueio do receptor de fator de crescimento epidérmico (EGFR), impedindo a proliferação do tumor. Porém, a alteração de um gene específico, chamado RAS, faz com que a céula tumoral cresça independentemente desse bloqueio. Com o tecido tumoral extraído da biópsia, foi possível identificar a presença ou ausência da alteração do gene RAS, um importante biomarcador para o câncer colorretal, que possibilitou a escolha do seu tratamento.3

Qualidade de vida

Qualidade de vida

Além da adesão ao tratamento, adote práticas diárias para melhorar a sua qualidade de vida.
Pensando em você, o ConvivaBem selecionou diversas dicas. Clique aqui para saber sobre bem-estar, alimentação, exercícios físicos e muito mais!

Referências

1. Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA). Estimativa 2016: Incidência de Câncer no Brasil. Rio de Janeiro, 2015:7-122. 2. Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA). Rio de Janeiro, 1996-2012. Disponível em: http://www2.inca.gov.br/wps/wcm/connect/tiposdecancer/site/home/colorretal/sintomas. Acesso em: 17 mai, 2017. 3. Allegra CJ, Rumble RB, Hamilton SR, Mangu PB, Roach N, Hantel A, et al. Extended RAS gene mutation testing in metastatic colorectal carcinoma to predict response to anti-epidermal growth factor receptor monoclonal antibody therapy: American Society of Clinical Oncology Provisional Clinical Opinion update 2015. J Clin Oncol. 2016 Jan 10;34(2):179-85.

O câncer de cabeça e pescoço compreende os tumores localizados na cavidade oral, orofaringe, hipofaringe e laringe.

Apesar da incidência estimada de 900 mil novos casos diagnosticados no mundo1, a doença ainda é pouco difundida, o que dificulta o diagnóstico precoce e a qualidade de vida.

Cancêr de cabeça e pescoço
Fatores de risco

Fatores de risco

Alguns fatores de risco podem contribuir para o surgimento da doença, como o consumo de álcool, infecção pelo vírus HPV, histórico familiar, exposição a agentes carcinogênicos e, principalmente, o tabagismo.2

Sintomas

Sintomas

Alguns sintomas podem surgir, como feridas na cavidade oral ou nos lábios que não cicatrizam por mais de 15 dias, manchas/placas vermelhas ou esbranquiçadas na língua, gengivas, céu da boca e bochecha, nódulos no pescoço, irritação na garganta, dificuldade para mover a mandíbula ou a língua, dormência na língua ou outra área da boca, dentes moles, dor em torno dos dentes, mudanças na voz, perda de peso e mau hálito persistente. Nos casos mais avançados, observa-se a dificuldade na mastigação e na deglutição, dificuldade na fala, sensação de que há algo preso na garganta e dor na boca.2

Diagnóstico

Diagnóstico

O diagnóstico de câncer de cabeça e pescoço é feito através de exames de imagem e exames laboratoriais das vias aerodigestivas superiores, seguido de biópsia, em que um fragmento de tecido retirado do tumor suspeito é analisado. Esses exames servem tanto para confirmar a presença do câncer quanto para constatar em qual fase a doença está.2

Tratamento multidisciplinar

Tratamento multidisciplinar

A complexidade dos locais atingidos pelo câncer de cabeça e pescoço demanda uma abordagem multidisciplinar de atendimento, como equipe de radioterapia, oncologia, nutrição, odontologia, psicologia, enfermagem, entre outros profissionais, com o objetivo de otimizar o tratamento.Saiba mais

Qualidade de vida

Qualidade de vida

Além da adesão ao tratamento, adote práticas diárias para melhorar a sua qualidade de vida.
Pensando em você, o ConvivaBem selecionou diversas dicas. Clique aqui para saber sobre bem-estar, alimentação, exercícios físicos e muito mais!

Cuidando das emoções

Cuidando das emoções

O diagnóstico do câncer de cabeça e pescoço muda não só a sua vida, como a das pessoas ao seu redor. Os sintomas da doença e seu tratamento causam mudanças no seu corpo e afetam também seus sentimentos.3
Mas você não precisa (na verdade, não deve) passar por esse turbilhão de sentimentos e emoções sozinho. Clique aqui para mais informações!

Referências

1. Curado, M.P, Martins, E. Rev. Bras. Cir. Cabeça e Pescoço. 2006, 35(3):136-141. 2. AC Camargo Câncer Center. São Paulo, 2014. Disponível em: http://www.accamargo.org.br /newsletter-atuacao/conheca-os-fatores-de-risco-formas-de-prevencao-e-evolucao-dos-tratamentos/406/. Acesso em: 17 mai, 2017. 3. National Cancer Institute. Coping with Cancer. Disponível em https://www.cancer.gov/about-cancer/coping. Acesso em 24/09/2017 às 23:42.

A quimioterapia é um tipo de tratamento em que se utiliza a combinação de medicamentos para combater o câncer, através da administração endovenosa. Esses medicamentos, por meio da corrente sanguínea, combatem as células tumorais e evitam que o câncer se instale em outros órgãos.1,2

A quimioterapia pode trazer alguns eventos adversos que podem ser manejáveis. Confira as dicas que separamos para você:

Dicas3

PRISÃO DE VENTRE

• Opte por alimentos ricos em fibras, como laranja, mamão, ameixa, uva, vegetais e cereais integrais;

• Beba mais líquidos;

• Faça exercícios físicos leves, como uma caminhada.

 

DIARREIA

• Dê preferência a alimentos gelados, líquidos e pastosos, e a alimentos sem gorduras e condimentos, como   arroz, batata, cenoura e banana, por exemplo;

• Beba, pelo menos, dois litros de água por dia.

 

FERIDAS NA BOCA

• Inspecione sua boca diariamente;

• Mantenha-a sempre limpa, principalmente, após às refeições;

• Evite alimentos ácidos, condimentados, quentes e de consistência dura.

 

ENJOO E VÔMITO

• Consulte seu médico;

• Evite alimentos e carnes gordurosos e condimentados;

• Alimentos frios ou em temperatura ambiente são bem tolerados;

• Procure se alimentar mais vezes por dia e em pequenas quantidades;

• Mastigue bem os alimentos;

• Evite realizar esforço físico após as refeições.

A radioterapia é o tratamento que utiliza a radiação ionizante para destruir ou impedir que as células do tumor se proliferem. A radiação é indolor, porém, deve-se ficar imóvel para que a mesma não ultrapasse os limites da área marcada pelo médico para receber a radioterapia.

Pode ser que surjam alguns efeitos colaterais. Os mais comuns são cansaço, reações de pele e, em alguns casos, perda de apetite ou dor ao engolir. Geralmente, esses eventos aparecem no fim da segunda semana de aplicação e desaparecem poucas semanas depois de terminado o tratamento.1

Dicas

CANSAÇO

O cansaço pode ocorrer devido à tensão relacionada com a doença, às visitas diárias para receber o tratamento e aos efeitos da radiação. Porém, essa sensação desaparece com o tempo. Caso você prefira continuar trabalhando, você pode pedir ao seu médico para programar um tratamento de acordo com o seu horário de trabalho.

 

REAÇÃO DA PELE

Tenha cuidado com a pele na área tratada durante as aplicações. Ela poderá ficar vermelha, irritada, queimada ou bronzeada, e tornar-se seca e escamosa. Além disso, pode também provocar coceiras. Normalmente, essas reações desaparecem algumas semanas após o término do tratamento. Porém, como a pele de cada pessoa reage de maneira diferente, é importante que você informe ao seu médico qualquer das seguintes situações:

• Febre igual ou acima de 38°C;

• Dores;

• Assaduras e bolhas;

• Secreção na pele.

 

PERDA DE APETITE E DIFICULDADE DE ENGOLIR

Diminua a quantidade de comida e aumente o número de refeições. Coma alimentos leves e variados. Além disso, fazer uma caminhada antes das refeições também pode ajudar.

Recomendações importantes:

• Lave sua pele com água e sabão e enxugue com uma toalha macia, sem esfregar;

• Não utilize cremes, desodorantes, loções, perfumes, talcos, medicamentos ou qualquer outra substância na   área em tratamento;

• Utilize apenas algum tipo de curativo com a orientação de seu médico;

• Não utilize bolsas de água quente ou gelo, ou se exponha a saunas, banhos quentes, lâmpadas solares ou   qualquer outro material sobre a pele em tratamento;

• Proteja a pele da luz solar até um ano depois do fim do tratamento e utilize protetor solar;

• Dê preferência às roupas feitas de algodão e não use tecidos sintéticos, como nylon, lycra, cotton ou tecidos   mistos com muita fibra sintética;

• Evite usar roupas apertadas, soutiens, camisas com colarinhos, calças jeans etc.

Referências

1. Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva – INCA. Radioterapia. Orientações aos pacientes 2ª Reimpressão. Rio de Janeiro, 2011. 2. Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva – INCA. Orientações para pacientes que se submetem a sessões de radioterapia. Disponível em http://www.inca.gov.br/conteudo_view.asp?id= 115. Acesso em 05 mai 2017. 3. Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva – INCA. Quimioterapia: orientações aos pacientes. 3a Edição. Rio de Janeiro, 2013.

CONCENTRE-SE NAS EXTREMIDADES

Dê atenção especial para os seus lábios, mãos e pés. Essas áreas possuem poucas glândulas sebáceas e são mais pobres em substâncias oleosas. Como consequência, tendem a ressecar com mais facilidade, especialmente, com o efeito de agressores externos (frio e fricção dos calçados, por exemplo), que podem espessar a pele e aumentar as rachaduras, tornando essas regiões dolorosas. Para prevenir esses sintomas, lembre-se de aplicar o hidratante regularmente nessas partes do seu corpo. DICAS DE CUIDADO: Se você estiver tentando reduzir o aparecimento de rachaduras, vista meias e coloque sapatos flexíveis e confortáveis.

LEMBRE-SE DE LIMPAR O ROSTO

A pele do rosto está exposta à radiação ultravioleta, poluição e diferentes tipos de agentes agressores. Isso faz com que ela transpire mais e se suje com mais facilidade que o restante da pele do corpo. Para protegê-la, utilize um sabonete adequado de manhã e à noite. Qual é o segredo? Um sabonete suave, hipoalergênico que foi testado sob controle dermatológico. Se você não estiver confiante, consulte a sua equipe médica ou farmacêutico. DICAS DE CUIDADO: Evite o uso de lenços de limpeza faciais, eles tendem a ressecar mais a pele.

ATENÇÃO AO CORPO

Prefira sabonetes adequados para pele sensível, sem cheiro e enriquecidos com óleos, em vez de usar géis de banho convencionais. Enxágue a sua pele cuidadosamente e, de preferência, com água morna, que é menos agressiva. Seque cada parte do seu corpo com uma toalha macia e confortável. Prefira banhos rápidos ao invés de demorados e muito quentes, estes podem agredir a sua pele e causar coceira. Não se esqueça de hidratar a pele logo após o banho! DICA DE CUIDADO: Quando for lavar a sua roupa, escolha detergentes hipoalergênicos e sem fragrância, para não causar irritação na sua pele já fragilizada.

FAÇA A ESCOLHA CORRETA

Escolha um hidratante hipoalergênico ou creme para peles intolerantes, sensíveis ou atópicas, com uma textura que espalhe bem. Comece aplicando pelos pés até a parte de cima do corpo. Em termos de composição, o hidratante deve conter ingredientes com estruturas que se assemelhem aos lipídeos naturais presentes na pele (por exemplo, ceramidas e manteiga de karité). Evite cremes à base de álcool e óleos essenciais perfumados para minimizar qualquer reação de sensibilidade. Quanto menor a lista de ingredientes, melhor. Repita a aplicação quantas vezes for necessário. Na região da face e dos olhos, hidrate com um produto hipoalergênico e água termal. Para uma sensação mais fresca, você pode deixar os produtos no refrigerador. Uma vez por semana, aplique uma máscara com hidratante na sua pele, durante 30 minutos, para aliviar a sensação de repuxamento e melhorar a hidratação.

O SOL E A PELE: PROTEÇÃO INTENSA

Alguns tratamentos contra o câncer tornam a pele sensível ao sol. Expondo a sua pele aos raios ultravioletas (UV), você corre o risco de ter muitas queimaduras. Portanto, fique longe do sol! Mas se você não puder manter a distância, não se esqueça de aplicar alto fator de proteção solar (FPS). Como parte integrante do tratamento, e até um ano após tê-lo finalizado, você deve usar protetor solar que contenha filtros UVA e UVB e alto fator de proteção, a fim de proteger a sua pele, que está fragilizada.

1 – Escolha um protetor solar creme, gel ou gel-creme com alto FPS e proteção UVA/ UVB;

2 – Aplique o produto após o uso do hidratante. Não se esqueça das áreas que tendemos a negligenciar, como orelhas, lábios, nuca, pescoço, palmas das mãos, sola dos pés e couro cabeludo, se necessário. Repita tudo a cada duas horas se você estiver exposto em ambiente externo;

3 – Evite exposição entre 10h e 16h, quando o sol está muito intenso. Mas se não puder evitar, proteja a sua pele com roupas, óculos escuros e chapéu de aba larga ou boné;

4 – Não faça bronzeamento artificial.

SE VOCÊ ESTÁ REALIZANDO TRATAMENTO COM RADIOTERAPIA

A pele necessita estar limpa e seca para a sessão, então é melhor não aplicar o hidratante na área da radioterapia antes que ela aconteça. Você poderá usar um hidratante adequado depois que a sessão estiver finalizada (mantenha o hidratante no refrigerador para um efeito mais refrescante).

IMPORTANTE: Não deixe de entrar em contato com o seu médico para que ele aconselhe quais dermocosméticos você pode usar nas áreas que passaram pela radioterapia.

O melhor produto para a pele sensibilizada é aquele que é calmante, anti-irritante e emoliente.

 

 

Saiba mais

Dificuldade para seguir o tratamento do câncer de cabeça e pescoço? Saiba o que fazer!

O tratamento do câncer de cabeça e pescoço (CCP) pode variar bastante entre os pacientes de acordo com o local do tumor, o estádio da doença, a idade e a condição de saúde no momento do diagnóstico. Mas há algo que deve ser comum para todos: a força de vontade e dedicação para seguir o tratamento proposto. Não é tarefa fácil, certo? Sabemos que são muitas mudanças no estilo de vida – desde a alimentação até parar de fumar ou beber, por exemplo – somadas ao uso de diferentes terapias, às vezes mais de uma, de uma única vez…1
Pode não ser fácil, mas vale a pena. O tratamento do câncer de cabeça e pescoço não só aumenta o seu tempo de vida, como melhora a qualidade – ou seja, seguindo o tratamento, você vive mais e melhor!2

Segundo estudos, alguns fatores podem influenciar sua adesão ao tratamento.Então separamos aqui algumas dicas que podem te ajudar a seguir adequadamente o tratamento proposto pelo seu médico!

Conviva Bem

Confira nosso passo a passo para se manter firme e forte no tratamento!

Tudo começa com uma boa comunicação entre médico e paciente.

Estudos comprovam que uma boa comunicação com seu médico pode sim contribuir para que você tenha adesão ao tratamento.A maioria dos pacientes quer receber o máximo possível de informações sobre a doença e seu tratamento (mesmo no caso de doenças graves como o câncer), então, saber que você pode ter uma discussão aberta e honesta com seu médico, sem tabus ou constrangimentos, pode impactar nas suas decisões futuras, inclusive em relação a continuidade do seu tratamento.4

Não tenha vergonha de fazer perguntas e repeti-las se você não entendeu a resposta. Não existe dúvida boba quando estamos falando da sua saúde ou a de alguém que você ama. Se você costuma ter um monte de dúvidas em casa, mas chega no consultório e acaba esquecendo tudo, anote-as em um caderninho e leve ele com você a cada consulta.

Se você é um cuidador: você pode ter uma conversa com o médico e pedir que ele esclareça e reforce junto ao paciente a importância da adesão ao tratamento. Peça que ele pergunte ao paciente se ele está se tratando como deveria e, se não, quais os principais obstáculos encontrados. A partir daí vocês podem traçar juntos um plano para superá-los. Lembre-se que as recomendações do médico têm um peso importante para o paciente!3

Simplifique e planeje seu tratamento, na medida do possível.

Seja sozinho ou com ajuda de alguém, a ideia é criar mecanismos que tornem o seu tratamento mais fácil. Por exemplo, se seu remédio é oral, crie um alerta no seu celular que te lembre de tomar o remédio todo dia na hora certa, ou associe tomar o medicamento com algum hábito diário seu, como o café.5,6 Se você precisa ir até uma clínica ou um hospital para o tratamento, agende seu transporte com antecedência. Será que um familiar pode te levar e te acompanhar neste dia? Você pode contratar alguém de antemão para esse serviço?Pense se além dessas questões práticas existem outras que podem atrapalhar seu tratamento e busque ajuda para superá-las.

Conheça os possíveis efeitos colaterais do seu tratamento e esteja preparado para lidar com eles.

Seja quimioterapia, radioterapia ou terapia- alvo, pode haver algumas reações indesejadas do seu tratamento.Uma forma de impedir que esses efeitos tirem seu foco de viver melhor e por mais tempo é estar preparado. Por isso, antes de começar um novo tratamento, pergunte para seu médico e/ou para enfermeira quais os eventos adversos mais comuns e peça orientações sobre como evitá-los ou gerenciá-los da melhor forma possível durante todo o processo.Para saber mais clique aqui.

Aprenda a aceitar ajuda.

O diagnóstico e tratamento do câncer pode trazer uma mudança muito rápida e drástica entre suas prioridades de vida. Às vezes é difícil saber o que fazer, por onde começar. Nesse momento, manter os amigos e familiares por perto pode te ajudar. Aprenda a pedir e a aceitar ajuda, deixe que eles te deem o apoio prático que você precisa, como te ajudar a cuidar de sua casa se você estiver no hospital, por exemplo, e te apoiar emocionalmente quando você ficar sobrecarregado pelo câncer.8

Se você é cuidador: saber que tem alguém para conversar sobre as esperanças e medos é importante para o paciente. Seja você um familiar, amigo ou profissional da saúde, esteja disposto a ouvir e a conversar com o paciente.Esse gesto pode fazer mais diferença do que você imagina!

Busque apoio com uma equipe multidisciplinar!

No tratamento do câncer de cabeça e pescoço é fundamental ter acesso e receber apoio de uma equipe composta por diferentes profissionais da saúde, para garantir que você receba cuidados especializados e de alta qualidade! Dependendo de cada caso, pode ser necessário envolver profissionais como cirurgiões oncológicos, plásticos e reconstrutivos e dentistas, especialistas em radiologia oncológica, patologistas, enfermeiros, fonoaudiólogos, nutricionistas e assistentes sociais, entre outros.9

Informe-se sobre seu câncer e o tratamento!

Entender o que está acontecendo no seu corpo e como o tratamento pode te beneficiar pode ser um passo importante para aumentar a sua adesão ao tratamento, pois é mais fácil quando você endente o porquê de fazer isso e quais os riscos de não o fazer.3,4

Além disso, a informação pode ser a chave para que você veja como vale a pena se submeter a alguns procedimentos ou a superar determinados efeitos colaterais, por exemplo, para viver por mais tempo e com mais qualidade de vida. A informação te ajuda a ter perspectiva do que é realmente importante em longo prazo.3,4

Referências

Entender o que está acontecendo no seu corpo e como o tratamento

pode te beneficiar pode ser um passo importante para aumentar a

sua adesão ao tratamento, pois é mais fácil quando você endente o

porquê de fazer isso e quais os riscos de não o fazer.3,4

Além disso, a informação pode ser a chave para que você veja como vale

a pena se submeter a alguns procedimentos ou a superar determinados

efeitos colaterais, por exemplo, para viver por mais tempo e com mais

qualidade de vida. A informação te ajuda a ter perspectiva do que é

realmente importante em longo prazo.3,4

Qualidade de vida

Bem-estar

Os desafios que podem surgir durante o tratamento do câncer precisam ser encarados de forma leve e tranquila, com paciência e determinação.

Para isso, o ConvivaBem selecionou diversas dicas sobre bem-estar, alimentação, exercícios físicos e muito mais, para que você possa enfrentar essa doença de forma simples, com saúde e energia. Afinal de contas, viver com qualidade de vida é muito melhor.

O seu estado nutricional pode ficar comprometido por causa da falta de apetite, comum durante o tratamento do câncer. Mas é preciso tomar cuidado com a desnutrição.

Aí vão algumas dicas para você driblar a falta de apetite e se alimentar bem durante o tratamento:

  • Fracione as refeições em 5 ou 6 ao dia;
  • Determine horários para as refeições;
  • Procure comer alimentos que você aceita melhor e que sejam adequados ao seu tratamento;
  • Coma devagar, mastigando bem;
  • Procure variar os preparos;
  • Converse com o responsável por fazer a sua comida sobre suas dificuldades. Com certeza, ele poderá ajudá-lo.

Sabia que a prática regular de atividade física pode atuar diretamente na sua qualidade de vida?

Isso porque os exercícios oferecem diversos benefícios, como:

Melhora da independência e autonomia para realização de atividades da vida diária, melhora do condicionamento cardiovascular, manutenção e ganho da massa muscular, melhora da qualidade do sono, do humor e da fadiga.

Mas, antes de sair por aí fazendo qualquer atividade física, siga algumas orientações:

  • Fale com seu médico antes de iniciar com as atividades;
  • Procure a orientação de profissionais especializados. Existem fisioterapeutas especializados em pacientes oncológicos;
  • Com a ajuda do médico e do fisioterapeuta, monte um programa de exercícios respeitando os seus limites;
  • Os exercícios ao ar livre podem ser uma boa opção para você revigorar o corpo e a mente. Converse com seu médico.

Para isso, você precisa:

  • Ter uma alimentação equilibrada, rica em frutas, vegetais, legumes e carnes brancas e evitar o consumo excessivo de sal e de açúcar;
  • Dormir bem. O sono ajuda a restabelecer o equilíbrio interno e melhora a disposição;
  • Não consumir bebidas alcoólicas;
  • Não fumar;
  • Realizar atividade física, sempre com autorização médica e acompanhamento profissional;
  • Procurar a ajuda de uma equipe multidisciplinar, incluindo psicólogo, nutricionista e fisioterapeuta, por exemplo.

Durante o tratamento, pode ser que você apresente diarreia devido aos efeitos do uso de medicamentos. Por isso, é importante repor os líquidos que perdeu. Além disso, manter o corpo hidratado ajuda a eliminar os resquícios de quimioterapia, amenizando os efeitos indesejáveis do tratamento.

Para isso:

  • Beba bastante líquido, aproximadamente, 8 copos por dia;
  • Procure ingerir sucos, água de coco, vitaminas e chás nos intervalos das refeições, pois além de hidratar, são fontes de nutrientes;
  • Consuma também gelatina e sopa, pois contêm água em sua composição.
Conviva Bem Conviva Bem

Referências

Seixas, RJ, et al. Atividade Física e Qualidade de Vida em Pacientes Oncológicos durante o Período de Tratamento Quimioterápico. Revista Brasileira de Cancerologia 2010; 56(3): 321-330. Guia de nutrição para pacientes e cuidadores: orientações aos pacientes.

Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA). Guia de nutrição para pacientes e cuidadores: orientações aos pacientes. 3a edição. Rio de Janeiro, 2015. Disponível em: http://www2.inca.gov.br/wps/wcm/connect/a8f4b780471a2c689febff5120665fa8/guia_nutricao_pacientes_3_edicao_web.pdf?MOD=AJPERES&CACHEID=a8 f4b780471a2c689febff5120665fa8. Acesso em 29.05.17.

Atividades Físicas

EXERCÍCIO FÍSICO, UM ALIADO AO SEU TRATAMENTO1
Que a prática regular de atividade física traz diversos benefícios à saúde todos sabem. Mas você sabia que se exercitar pode ajudar no seu tratamento contra o câncer?

Estudos comprovam que fazer exercícios pode melhorar, e muito, a sua qualidade de vida.¹

Pedalada1

Ao andar de bicicleta, além de exercitar o corpo, você distrai a mente. Pode ser no parque, pelas ciclovias da cidade ou mesmo pelas ruas do seu bairro. Se preferir, você também pode optar pela bicicleta ergométrica.

Caminhada1,5

Você pode começar com 30 minutos por dia e ir aumentando esse tempo de acordo com seus limites. Mas lembre-se: vista-se com roupas confortáveis, calçados apropriados e use sempre protetor solar.

Hidroginástica3

Uma das atividades mais completas e sem impacto, a hidroginástica pode ser praticada por qualquer pessoa. O ideal é praticá-la, pelo menos 3 vezes por semana. Procure um clube ou academia perto de você!

Alongamento4,5

Essa é uma maneira suave e segura de estimular o corpo e a circulação sanguínea. E o melhor: alongamentos podem ser feitos em casa, na academia, ao ar livre e até no trabalho. Comece agora mesmo.

Benefícios da atividade física para o seu dia a dia:2

• Aumenta a disposição para a realização das atividades do dia a dia;

• Melhora a independência e a autonomia;

• Combate a fadiga;

• Promove a manutenção e ganho de massa muscular;

• Melhora o sono e o humor;

• Diminui o risco de doenças cardiovasculares;

• Aumenta a autoestima;

• Previne o aparecimento de novos tumores e recorrência da doença.

Referências

Raquel Jeanty de Seixas el al. Atividade Física e Qualidade de Vida em Pacientes Oncológicos durante o Período de Tratamento Quimioterápico. Revista Brasileira de Cancerologia 2010; 56(3): 321-330. Instituto Oncoguia. Disponível em http://www.oncoguia.org.br/conteudo/atividades-fisicas-e-o-paciente-com-cancer /1919/22/. Acesso em 12/04/2017. Instituto Oncoguia. Disponível em http://www.oncoguia.org.br/conteudo/hidroginastica-x-qualidade-de-vida/180/22/. Acesso em 05/06/2017. Fernando Cesar Iwamoto Marcucci. O papel da fisioterapia nos cuidados paliativos a pacientes com câncer. Revista Brasileira de Cancerologia 2005; 51(1): 67-77. Instituto Oncoguia. Disponível em http://www.oncoguia.org.br/conteudo/como-se-preparar-para-uma-caminhada/ 179/22/. Acesso em 07/06/2017.
Conviva Bem

Receitas

Para bons resultados no seu tratamento, o ConvivaBem tem grande preocupação com a sua alimentação, por isso, selecionou receitas práticas e nutritivas para você se alimentar de forma adequada, sem ter que abrir mão de uma deliciosa refeição.

Panqueca de aveia e banana

Preparo em 15 minutos | Rende 1 porção

Ingredientes
  • 1 banana prata
  • 2 colheres de sopa de farelo de aveia
  • 2 colheres de chá de semente de linhaça dourada
  • 1 ovo
  • Canela a gosto
  • 1 colher de sobremesa de mel (opcional)
Mode de preparo

Misture a banana, o farelo de aveia e o ovo e bata no liquidificador ou com auxílio de um mixer até obter uma massa líquida. Numa frigideira antiaderente e em fogo baixo, despeje a massa, virando-a após 2 minutos. Cozinhe até que a massa esteja dourada. Polvilhe a canela em pó. Se desejar, adicione o mel e sirva em seguida.

Saiba mais | Nutrição

A banana, uma das frutas mais consumidas no Brasil, é reconhecida por ser rica em potássio, vitaminas do complexo B1 e triptofano, um aminoácido essencial necessário para a produção da serotonina, um neurotransmissor responsável pela sensação de bem-estar.2

Receita por: Clarissa Fujiwara - Nutritionist, MSc. / CRN-3 32.841

Referências

1. Singh B, Singh JP, Kaur A, Singh N. Bioactive compounds in banana and their associated health benefits - A review. Food Chem. 2016 Sep 1;206:1-11. 2. Jenkins TA, Nguyen JC, Polglaze KE, Bertrand PP. Influence of Tryptophan and Serotonin on Mood and Cognition with a Possible Role of the Gut-Brain Axis. Nutrients. 2016 Jan 20;8(1).

Creme de abóbora, cenoura e gengibre

Preparo em 50 minutos | Rende 4 porções

Ingredientes
  • 1 cebola média picada
  • 2 dentes de alho
  • 1 colher de sopa de azeite de oliva
  • 4 xícaras de chá de abóbora cabotian sem casca e em pedaços
  • 2 cenouras médias descascadas e em fatias grossas
  • 1 litro de água
  • Sal a gosto
  • 3 colheres de chá de gengibre ralado
  • Salsinha picada a gosto
Mode de preparo

Em uma panela funda, refogue a cebola e o alho com o azeite até dourar. Em seguida, adicione a abóbora, a cenoura e a água. Tempere com o sal e junte o gengibre. Cozinhe em fogo médio, durante 25 minutos ou até que estejam cozidos. Desligue o fogo, aguarde resfriar e bata no liquidificador ou com auxílio de um mixer. Reaqueça ao servir e decore com a salsinha picada.

Saiba mais | Nutrição

Encontrado em vegetais amarelos e alaranjados, o betacaroteno – presente na abóbora e cenoura – é precursor da vitamina A, nutriente essencial para a saúde dos olhos, pele e o sistema imunológico, enquanto a sua deficiência induz à menor resistência a infecções.1

Receita por: Clarissa Fujiwara - Nutritionist, MSc. / CRN-3 32.841

Referências

1. Sommer A. Vitamin a deficiency and clinical disease: an historical overview. J Nutr. 2008 Oct;138(10):1835-9.

Pudim de chia

Preparo em 10 minutos + 6 horas de geladeira | Rende 2 porções

Ingredientes
  • 150 ml de leite de coco
  • 1 colher de chá de essência natural de baunilha
  • Açúcar demerara ou adoçante a gosto (opcional)
  • 3 colheres de sopa de semente de chia
  • 10 unidades de morangos (preferencialmente orgânicos) picados
Mode de preparo

Em um recipiente de vidro, misture o leite de coco e a essência natural de baunilha. Se desejar um sabor mais doce, adicione o mínimo necessário de açúcar ou o adoçante. Em seguida, adicione as sementes de chia, mexendo bem. Tampe o pote e deixe o recipiente sob refrigeração, mantendo a chia repousando em meio líquido por no mínimo 6 horas ou até que a mistura adquira textura de gel. Retire da geladeira, adicione os morangos picados e sirva em seguida.

Saiba mais | Nutrição

A semente de chia contém em seu interior o ácido graxo essencial ômega-3, na forma de ácido α-linolênico, que possui ação anti-inflamatória, além de auxiliar para o bom funcionamento intestinal e favorecer a sensação de saciedade.1

Receita por: Clarissa Fujiwara - Nutritionist, MSc. / CRN-3 32.841

Referências

1. Mohd Ali N, Yeap SK, Ho WY, Beh BK, Tan SW, Tan SG. The promising future of chia, Salvia hispanica L. J Biomed Biotechnol. 2012;2012:171956.

Bolo integral de maçã e banana

Preparo em 60 minutos | Rende 12 porções

Ingredientes
  • 1 xícara de chá de farinha de aveia
  • 1 xícara de chá de farinha de trigo integral
  • 1/4 de xícara de chá de açúcar mascavo (substituir por adoçante culinário em caso de necessidade de restrição no consumo de açúcar)
  • 1 ovo
  • 1 xícara de chá de leite desnatado
  • 2 maçãs gala picadas
  • 3 bananas nanicas picadas
  • 1/4 de xícara de chá de uvas-passas
  • 1 colher de sopa de fermento em pó
  • 1/2 xícara de chá de nozes picadas
  • Canela em pó a gosto (opcional)
Mode de preparo

Em uma tigela grande, misture a farinha de aveia, de trigo integral e o açúcar mascavo. Pique as maçãs e as bananas em pedaços pequenos. Numa batedeira ou à mão, junte a mistura de farinhas e açúcar com o ovo, o leite e misture. Em seguida, adicione as maçãs, as bananas e as uvas-passas. Por fim, acrescente o fermento e misture até obter uma massa homogênea. Em uma forma untada, despeje delicadamente a mistura e leve ao forno médio preaquecido a 180oC e asse por cerca de 35 minutos ou até que a massa esteja completamente assada*. Polvilhe sobre o bolo as nozes picadas e finalize com a canela em pó.

Saiba mais | Nutrição

A aveia é fonte de uma fibra solúvel chamada betaglucana que pode auxiliar no controle do colesterol, contribuir para um menor pico na glicemia após a refeição e promover a saciedade.1 As nozes possuem o que chamamos de “gordura boa” e possuem vitamina E, que apresenta grande capacidade antioxidante.2

*NOTA: Para saber se o bolo está assado, espete um palito na massa e retire – caso saia sem resíduos de massa, o bolo estará assado.

Receita por: Clarissa Fujiwara - Nutritionist, MSc. / CRN-3 32.841

Referências

1. Ho HV, Sievenpiper JL, Zurbau A, Blanco Mejia S, Jovanovski E, Au-Yeung F, Jenkins AL, Vuksan V. The effect of oat β-glucan on LDL-cholesterol, non-HDL-cholesterol and apoB for CVD risk reduction: a systematic review and meta-analysis of randomised-controlled trials. Br J Nutr. 2016 Oct;116(8):1369-1382. 2. Ros E, Núñez I, Pérez-Heras A, Serra M, Gilabert R, Casals E, Deulofeu R. A walnut diet improves endothelial function in hypercholesterolemic subjects: a randomized crossover trial. Circulation. 2004 Apr 6;109(13):1609-14.

Salada de folhas com pera, nozes e mel

Preparo em 15 minutos | Rende 4 porções

Ingredientes
  • 1 pé de alface-americana higienizado
  • 1 maço de rúcula higienizado
  • 1 pera cortada em lâminas finas
  • 2 colheres de sopa de mel
  • 2 colheres de sopa de azeite de oliva extravirgem
  • 2 colheres de sopa de aceto balsâmico
  • 1⁄2 xícara de chá de nozes
  • 2 coheres de sopa de uva-passa
Mode de preparo

Em uma saladeira, disponha as folhas de alface, rúcula e as peras laminadas. Misture o mel, o azeite de oliva e o aceto balsâmico e regue sobre a salada. Finalize salpicando as nozes e as uvas-passas. Sirva em seguida.

Saiba mais | Nutrição

Presente na rúcula e outros vegetais verde-escuros, o ácido fólico (ou vitamina B9) é necessário para a síntese de DNA e formação das hemácias e sua deficiência pode causar alguns tipos de anemia.1 Adicionalmente, possui a vitamina K, que participa na manutenção da boa saúde óssea e atua na coagulação do sangue, prevenindo hemorragias.2

Receita por: Clarissa Fujiwara - Nutritionist, MSc. / CRN-3 32.841

Referências

1. Bailey LB, Stover PJ, McNulty H, Fenech MF, Gregory JF 3rd, Mills JL, Pfeiffer CM, Fazili Z, Zhang M, Ueland PM, Molloy AM, Caudill MA, Shane B, Berry RJ, Bailey RL, Hausman DB, Raghavan R, Raiten DJ. Biomarkers of Nutrition for Development-Folate Review. J Nutr. 2015 Jul;145(7):1636S-1680S. 2. Ferland G. The discovery of vitamin K and its clinical applications. Ann Nutr Metab. 2012;61(3):213-8.

Chips de batata-doce

Preparo em 50 minutos | Rende 4 porções

Ingredientes
  • 2 unidades médias de batatas-doces descascadas
  • 1 colher de sopa de azeite de oliva extravirgem
  • 2 colheres de chá de cúrcuma
  • Sal a gosto
  • Pimenta-do-reino a gosto (opcional)
Mode de preparo

Corte as batatas em rodelas bem finas e seque-as delicadamente com auxílio de papel-toalha para retirar o excesso de umidade. Misture as rodelas de batata no azeite e disponha-as em uma forma sem que se sobreponham. Leve ao forno preaquecido a 180oC por cerca de 20 minutos ou até que estejam assadas. Finalize polvilhando a cúrcuma, o sal e a pimenta-do-reino.

Saiba mais | Nutrição

A batata-doce é fonte de energia proveniente de carboidratos complexos e se destaca por apresentar baixo índice glicêmico, fazendo com que a velocidade de aumento do açúcar no sangue seja mais lenta.1 A cúrcuma, por sua vez, apresenta potenciais ações antioxidantes e anti-inflamatórias.2

Receita por: Clarissa Fujiwara - Nutritionist, MSc. / CRN-3 32.841

Referências

1. Suksomboon N, Poolsup N, Boonkaew S, Suthisisang CC. Meta-analysis of the effect of herbal supplement on glycemic control in type 2 diabetes. J Ethnopharmacol. 2011 Oct 11;137(3):1328-33. 2. Hussain Z, Thu HE, Amjad MW, Hussain F, Ahmed TA, Khan S. Exploring recent developmentsto improve antioxidant, anti-inflammatory and antimicrobial efficacy of curcumin: A review of new trends and future perspectives. Mater Sci Eng C Mater Biol Appl. 2017 Aug 1;77:1316-1326.

Salmão ao molho de maracujá

Preparo em 30 minutos | 2 porções

Ingredientes

Salmão

  • 2 postas de salmão (aprox. 120 g cada)
  • Suco de 1⁄2 limão
  • Sal a gosto
  • Pimenta-do-reino a gosto (opcional)
  • 1 cebola picada

Molho

  • 1 colher de sobremesa de açúcar cristal (substituir por adoçante culinário em caso de necessidade de restrição no consumo de açúcar)
  • 2 colheres de sopa de água
  • 1/2 xícara de chá de suco de maracujá natural
  • 1⁄2 colher de sobremesa de amido de milho
Mode de preparo

Temperar o salmão com limão, sal e a pimenta-do-reino. Em uma panela, refogar a cebola até dourar. Junte as postas de salmão e cozinhe. Desligue o fogo e reserve. Para o preparo do molho, coloque o açúcar numa panela, junte o suco e as sementes de maracujá. Deixe ferver e junte o amido dissolvido em água e mexa até engrossar. Para servir, regue o salmão com o molho de maracujá.

Saiba mais | Nutrição

O salmão, assim como os peixes que habitam águas marinhas profundas e frias (a exemplo do atum, sardinha, truta, arenque, bacalhau e cavala) é fonte de ômega-3, na forma de EPA (ácido eicosapentaenóico) e DHA (ácido docosahexaenoico), atuando na melhora da saúde cardiovascular e fazendo parte de estruturas do sistema nervoso central.1

Receita por: Clarissa Fujiwara - Nutritionist, MSc. / CRN-3 32.841

Referências

1. Kaur N, Chugh V, Gupta AK. Essential fatty acids as functional components of foods- a review. J Food Sci Technol. 2014 Oct;51(10):2289-303.

Omelete de shimeji

Preparo em 30 minutos | Rende 2 porções

Ingredientes
  • 2 ovos de galinha grandes
  • 1⁄4 xícara de chá de leite desnatado
  • 1⁄2 bandeja de cogumelo shimeji
  • 1 colher de sopa de manteiga
  • 1⁄2 talo de alho-poró
  • Pimenta-do-reino a gosto
  • Sal a gosto
Mode de preparo

Em uma tigela, bata os ovos com o leite e reserve. Em uma frigideira antiaderente e em fogo médio, adicione os cogumelos shimeji e doure na manteiga. Adicione o alho-poró e tempere com a pimenta-do-reino e o sal. Despeje delicadamente os ovos batidos na frigideira e a tampe. Quando estiver quase cozida, vire a omelete. Mantenha até que esteja cozida. Sirva em seguida.

Saiba mais | Nutrição

O ovo é fonte de albumina que está presente na clara e é uma proteína de alto valor biológico e boa digestibilidade, importante para a síntese de massa muscular. A gema, por sua vez, carrega vitaminas lipossolúveis, como a vitamina A, E e D. Além disso, o ovo fornece vitaminas do complexo B, como a vitamina B6 (chamada de piridoxina) que está envolvida no metabolismo energético.1

Receita por: Clarissa Fujiwara - Nutritionist, MSc. / CRN-3 32.841

Referências

1. Layman DK, Rodriguez, NR. Egg Protein as a Source of Power, Strength and Energy. Nutr Today. 44(1):43-48.

Torta de liquidificador

Preparo em 1h e 45 minutos | Rende 10 porções

Ingredientes

Recheio

  • 1 cebola picada
  • 2 dentes de alho
  • 500 g de peito de frango cozido e desfiado
  • 1 tomate picado
  • 1⁄3 xícara de chá de ervilha cozida
  • 1/3 xícara de chá de milho cozido
  • Pimenta-do-reino a gosto
  • Sal a gosto
  • Salsinha a gosto

Massa

  • 3 ovos
  • 1 xícara de chá de farinha de trigo integral
  • 1⁄2 xícara de chá de farinha de aveia
  • 2 colheres de sopa de azeite de oliva
  • 1 copo de iogurte natural integral
  • 1 colher de chá de fermento químico em pó
Mode de preparo

Em uma panela e em fogo baixo, doure a cebola e o alho. Adicione o frango desfiado, o tomate, a ervilha, o milho, a pimenta-do-reino, o sal e a salsinha. Desligue o fogo e reserve. Em um liquidificador, coloque os ovos e bata por cerca de 1 minuto. Acrescente as farinhas, o azeite de oliva e o iogurte e bata até obter uma massa homogênea. Por fim, adicione o fermento. Em uma forma alta e untada, despeje delicadamente metade da massa, faça uma segunda camada com o recheio e cubra com o restante da massa. Leve ao forno preaquecido a 180oC e asse por cerca de 45 minutos ou até que esteja dourada.*

Saiba mais | Nutrição

Presente no frango, as proteínas são necessárias para a formação de tecidos corporais, enzimas, hormônios e substâncias que fazem o transporte pelo sangue. Sua deficiência está relacionada à grande perda de massa muscular e menor imunidade.1 O alho possui um composto sulfuroso chamado alicina, que apresenta atividade imunoprotetora e antibactericida.2 A cebola, por sua vez, funciona em dupla com o alho, já que apresenta a quercetina, que também estimula a função imune.3

*NOTA: Para saber se a torta está assada, espete um palito na massa e retire – caso saia sem resíduos de massa, a torta estará assada.

Receita por: Clarissa Fujiwara - Nutritionist, MSc. / CRN-3 32.841

Referências

1. Wolfe RR, Miller SL, Miller KB. Optimal protein intake in the elderly. Clin Nutr. 2008 Oct;27(5):675-84. 2. Mlcek J, Jurikova T, Skrovankova S, Sochor J. Quercetin and Its Anti-Allergic Immune Response. Molecules. 2016 May 12;21(5). 3. Butt MS, Sultan MT, Butt MS, Iqbal J. Garlic: nature's protection against physiological threats. Crit Rev Food Sci Nutr. 2009 Jun;49(6):538-51.

Mingau de quinoa

Preparo em 20 minutos | Rende 2 porções

Ingredientes
  • 3/4 xícara de chá de quinoa em flocos
  • 2 xícaras de chá de leite desnatado
  • 2 colheres de chá de açúcar mascavo (substituir por adoçante culinário em caso de necessidade de restrição no consumo de açúcar)
  • 2 colheres de chá de semente de linhaça dourada
  • Essência de baunilha natural (opcional)
  • Canela em pó a gosto (opcional)
Mode de preparo

Em uma panela e em fogo baixo, adicione a quinoa, o açúcar e acrescente o leite aos poucos, mexendo por 10 minutos ou até engrossar. Adicione a semente de linhaça, a essência de baunilha e desligue o fogo. Finalize polvilhando a canela em pó.

Saiba mais | Nutrição

A quinoa é um alimento fonte de carboidratos complexos, fibras alimentares e também de proteína vegetal.1 O leite, por sua vez, apresenta cálcio em sua composição, um mineral fundamental para manter a saúde de ossos e dentes.2

Receita por: Clarissa Fujiwara - Nutritionist, MSc. / CRN-3 32.841

Referências

1. Vega-Gálvez A, Miranda M, Vergara J, Uribe E, Puente L, Martínez EA. Nutrition facts and functional potential of quinoa (Chenopodium quinoa willd.), an ancient Andean grain: a review. J Sci Food Agric. 2010 Dec;90(15):2541-7. 2. Cashman KD. Calcium intake, calcium bioavailability and bone health. Br J Nutr. 2002 May;87 Suppl 2:S169-77.

Smoothie de frutas vermelhas

Preparo em 10 minutos | Rende 1 porção

Ingredientes
  • 200 ml de leite desnatado (ou bebida vegetal de arroz ou amêndoas)
  • 1 xícara de chá de frutas vermelhas congeladas (framboesa, amora, morango e/ou blueberry)
  • 1 colher de chá de semente de girassol
  • Gelo a gosto
Mode de preparo

No liquidificador, utilizando a função pulsar, misture o leite e as frutas vermelhas até obter textura de creme. Em seguida, adicione o gelo de forma que a consistência se mantenha cremosa. Polvilhe a semente de girassol e sirva em seguida.

Saiba mais | Nutrição

As frutas de coloração vermelha e arroxeada apresentam as antocianinas, compostos bioativos de grande capacidade antioxidante e que atuam no organismo por meio da proteção das células contra a ação dos radicais livres.1 A semente de girassol contém em seu interior um óleo rico em vitamina E, outro nutriente de grande função antioxidante.2

Receita por: Clarissa Fujiwara - Nutritionist, MSc. / CRN-3 32.841

Referências

1. Skrovankova S, Sumczynski D, Mlcek J, Jurikova T, Sochor J. Bioactive Compounds and Antioxidant Activity in Different Types of Berries. Int J Mol Sci. 2015 Oct 16;16(10):24673-706. 2. Del Moral L, Pérez-Vich B, Velasco L. Tocopherols in Sunflower Seedlings under Light and Dark Conditions. Scientific World Journal. 2015;2015:146782.

Cuidando das emoções

Apoio emocional

O impacto do diagnóstico de câncer pode ser sentido já no primeiro momento. Isso porque, junto com ele, vêm alguns sentimentos de dúvida, medo, angústia e ansiedade, que podem até mesmo evoluir para problemas emocionais mais sérios, como a depressão, por exemplo.

Mas é importante manter o lado emocional equilibrado, a fim de garantir melhores resultados ao tratamento e ao seu bem-estar. Mesmo antes que problemas emocionais se instalem, algumas atitudes são necessárias como forma de prevenção.

Algumas dicas importantes que poderão ajudá-lo a se preparar emocionalmente:

Falar sobre o que está sentindo é uma maneira de cuidar das emoções. Além disso, durante o tratamento, pode ser que você tenha que deixar de fazer algumas coisas que eram de sua responsabilidade, como pegar os filhos na escola ou fazer compras.

Portanto, converse com sua família sobre as mudanças necessárias na rotina de todos. Peça e aceite ajuda de familiares e amigos.

Já no trabalho, fale abertamente com seu chefe e demais colegas sobre o seu diagnóstico e peça-lhes ajuda quando sentir necessidade. Afinal, pode ser que um dia ou outro você não se sinta bem, devido aos efeitos do tratamento.

Hoje em dia, existem diversos meios para você se manter bem informado sobre o câncer, mas é importante prestar atenção na fonte dessas informações.

Cada caso é único, então vale a pena conversar com o seu médico, com a equipe multidisciplinar e até frequentar grupos de apoio. Só assim você poderá, juntamente com seu médico, decidir sobre qual caminho seguir em busca do seu bem-estar.

O psico-oncologista, um psicólogo especializado em oncologia, é o profissional mais indicado para lhe dar apoio emocional.

Através de suas técnicas, a psicoterapia poderá ajudá-lo a lidar com as emoções, reconhecer os problemas emocionais, auxiliá-lo a enfrentá-los e combatê-los, contribuindo com seu bem-estar e qualidade de vida.

Seja qual for a sua crença, exercitar a espiritualidade, através da fé, poderá ajudá-lo a lidar melhor com a doença, o tratamento e com seus próprios sentimentos. É importante manter a chama da esperança acesa dentro de você.

A depressão é uma doença que interfere no modo de pensar, agir e se relacionar com as pessoas. É muito comum que problemas emocionais após o diagnóstico de câncer evoluam para um quadro depressivo.

Portanto, ao se sentir triste, desmotivado, com dores no corpo, sonolento ou com dificuldade para dormir e pensamentos negativos, converse com seus familiares e amigos e peça a ajuda de um psico-oncologista.

É importante ter com quem contar, seja para receber apoio material, emocional ou afetivo. Por isso, procure manter uma boa rede de apoio com familiares, cuidadores, amigos e profissionais de saúde.

Participar das reuniões em família e de encontros com os amigos pode fazer muito bem a você e ao seu tratamento. É claro que tudo deve ser feito dentro das suas condições de saúde.

Procure fazer alguma coisa que lhe dê prazer, como ouvir uma boa música, navegar na internet, ler um bom livro, cuidar de seu animal de estimação, jardinagem ou até mesmo cozinhar aquele prato que é sua especialidade.

Você não está sozinho: apoio no tratamento do câncer de cabeça e pescoço (CCP)

O diagnóstico do câncer de cabeça e pescoço muda não só a sua vida, como a das pessoas ao seu redor. Os sintomas da doença e seu tratamento causam mudanças no seu corpo e afetam também seus sentimentos.1

Mas você não precisa (na verdade, não deve) passar por esse turbilhão de sentimentos e emoções sozinho. Independentemente do caminho que você escolher, o importante é que você não se isole ou tente vencer o câncer sozinho. Alguns pacientes se beneficiam da troca de experiências em associações de pacientes (temos uma lista ali embaixo!), ao conversar com outras pessoas que estão passando ou já passaram pelos mesmos desafios. Manter a família e os amigos por perto é fundamental. Outros pacientes encontram conforto na religião e na espiritualidade, ou no apoio profissional com um terapeuta, por exemplo. Veja o que funciona para você e busque apoio de todas as formas que puder.2

Se você acha que um psicólogo pode te ajudar, pergunte ao seu médico como ter acesso a um, ou busque um contato nas associações de pacientes. Muitas pessoas descobrem que falar sobre seus sentimentos, como tristeza e raiva, as ajuda a lidar com eles.2

E cuidador também precisa de cuidados!
Lidar com os desafios e necessidades de um paciente com câncer de cabeça e pescoço pode também sobrecarregar os cuidadores. Para se ter uma ideia, embora a maioria deles reconheça a importância de manter sua vida social, 43% admite falhar em fazer isso. Além disso, cerca de 1/3 dos cuidadores nunca pedem ajuda, mesmo quando estão enfrentando uma demanda excessiva de cuidados. Enfim, seja apoio familiar ou profissional (com um psicólogo, por exemplo), o cuidador também precisa de cuidados para seguir em frente!3

Câncer de cabeça e pescoço: a culpa não é sua!
Como o tabagismo e o alcoolismo podem ser a causa da maioria dos casos de câncer de cabeça e pescoço hoje no mundo4, não é raro que os pacientes se culpem pelo desenvolvimento da doença. Alguns chegam até a acreditar que não merecem apoio durante o tratamento5. Soa familiar?

Tenha em mente que você é uma vítima do câncer, e não o culpado. O cigarro causa uma forte dependência, que geralmente começa na juventude. Além disso, como a maioria dos fumantes, você muito provavelmente já tentou parar de fumar.6

Saiba que esse sentimento de culpa entre pacientes com CCP está associada à menor adesão ao tratamento e até à propensão de que você continue fumando (o que é péssimo para você).7-9 Chega de culpa: é hora de pensar nas suas perspectivas!

Confira aqui a lista com as associações de pacientes que podem te ajudar a enfrentar o câncer de cabeça e pescoço e viver bem, nas diferentes regiões do país!

• Associação de Câncer de Boca e Garganta (ACBG) ir ao site

• Instituto Vencer o Câncer (IVOC) ir ao site

• Instituto Oncoguia ir ao site

• Instituto Lado a Lado pela Vida ir ao site

• Instituto Nacional do Câncer (INCA) ir ao site

• Associação Brasileira de Apoio aos Pacientes de Câncer (ABRAPAC) ir ao site

• Associação Brasileira de Portadores de Câncer (AMUCC) ir ao site

• Grupo de Apoio e Autoajuda para Pacientes de Câncer ir ao site

• Unidade de Apoio ao Portador de Câncer (UNICANCER) ir ao site

• Núcleo Assistencial para Pessoas com Câncer (NASPEC) ir ao site

• Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (ICESP) ir ao site

• Banco de Lenços ir ao site

• De Bem Com Você A Beleza Contra o Câncer ir ao site

Quer acrescentar alguma associação de pacientes na lista acima?
Se você conhece ou representa alguma associação que pode ajudar pacientes com câncer de cabeça e pescoço no Brasil e não está listada acima, entre em contato conosco no telefone 0800 11 33 19 ou e-mail contato@programaconvivabem.com.br.

Referências

Santana et al. Pacientes com câncer: enfrentamento, rede social e apoio social. Paidéia, 2008, 18(40), 371-384. Silva et al. O paciente com câncer: cognições e emoções a partir do diagnóstico. Revista Brasileira de Terapias Cognitivas, 2008: 4(2), Volume 4, Número 2. Juciléia Rezende Souza e Eliane Maria Fleuty Seidl. Distress e enfrentamento: da teoria à prática em psico-oncologia. Brasília Med 2014;50(3):242-252. Instituto Oncoguia – www.oncoguia.com.br

Cadastre-se

Nesta seção você poderá solicitar o seu cadastro no Programa ConvivaBem, um programa de suporte a pacientes em tratamento oncológico. Basta preencher as informações abaixo e, dentro de 1 dia útil, a equipe do Programa ConvivaBem retornará o contato para confirmar o seu cadastro.

Endereço:

Sexo:

Como soube do Programa Conviva Bem?

Através de meu médicoAtravés da enfermeiraAtravés de outro profissional da saúdeIndicação de amigoIndicação de familiarNavegando na internetOutros

Dados do médico

Estou de acordo que os dados fornecidos acima são verdadeiros e autorizo que o Programa ConvivaBem utilize estas informações para fins de contato. Estou ciente de que o preenchimento deste formulário não garante meu cadastro ao Programa, sendo necessária a confirmação pela equipe de atendimento. Estou de acordo com as políticas de privacidade de dados e termos de uso disponíveis no website.

* campos obrigatórios.